• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Sinta-se Bem

Alongamento de cílios fio a fio: os riscos e quais cuidados tomar

Do ponto de vista da saúde ocular, não é um procedimento considerado seguro.

Jessica Alves Publicado: 22/11/2021 12:08 | Atualizado: 22/11/2021 12:10

Alongamento de cílios fio a fio se tornou febre. A técnica consiste em colar fios de seda em cada cílio natural. Assim, alonga e dá volume com praticidade. Mas o procedimento não é considerado seguro, segundo especialistas. Entenda a seguir.

 

Alongamento fio a fio: “Up no olhar”

O alongamento de cílios fio a fio é uma técnica que não trabalha com tufos. Mas com fios de seda separados. São colados nos cílios a 0.2 cm da pele. A explicação é da maquiadora Camila Monteiro, especialista em cílios.

“A distância existe por ser uma extensão e não um implante, então a cola vai direto nos pelos”, afirmou.

E assim o olhar ganha um destaque especial. Em tempos de pandemia, onde usar a máscara ainda é obrigatório, ele se tornou um diferencial.

Muitas buscam dar um verdadeiro up no olhar, com mais volume e poder nos cílios. Mas nem só de beleza vive este procedimento. Porque ele também pode causar prejuízos e precisa de cuidados.

 

Que complicações o alongamento de cílios fio a fio pode causar?

A cada ano, milhares de procedimentos estéticos para os olhos são realizados no Brasil. Alguns são bem inusitados, como os cílios postiços por “dentro dos olhos”, que virou moda na internet. Mas isso aumentam as consultas oftalmológicas.

Existem várias complicações oculares associadas ao alongamento de cílios.

Vão desde a quebra dos cílios naturais até a ceratoconjuntivite, erosão conjuntival, alopécia tradicional e lesões corneanas. Como aponta um estudo do Conselho do Consumidor de Hong Kong, do divulgado na Revista Choice.

De acordo com a oftalmologista Cláudia Del Claro, coordenadora do setor de lentes de contato do Hospital de Olhos de Florianópolis, em Santa Catarina, o alongamento de cílios fio a fio também precisa de cuidados.

“O alongamento é contraindicado para pacientes com inflamação nas pálpebras como meibomite, blefarite e rosácea ocular.

Assim, se você sentir inchaço nas pálpebras, olhos vermelhos, irritação, sensação de corpo estranho e secreção, procure atendimento médico”, afirmou.

Ela completa que em muitos casos, a remoção do alongamento é o mais indicado.

Dra. Claudia Del Claro

 

A cola também requer atenção!

A aplicação do alongamento fio a fio deve ser repetida a cada 2 ou 3 semanas, de acordo com a necessidade. Por isso, é preciso ficar de olho. Porque as colas utilizadas contêm produtos químicos. os principais são o formaldeído, chumbo e ácido benzílico.

Segundo Cláudia Del Claro, o principal risco que a cola pode causar nos cílios naturais é a Blefarite Alérgica. Ela se apresenta como hiperemia, irritação, coceira, lacrimejamento e edema palpebral.

Segundo a especialista, é comum que ela afete os olhos. Embora um lado possa ser mais afetado do que o outro.

“Os sintomas podem não ocorrer nas primeiras horas ou dias após a aplicação. Acredita-se que o formaldeído da cola e das fitas fixadoras das pálpebras cause a reação alérgica. O chumbo e ácido benzóico, encontrados em concentrações variadas”, alertou.

 

Outros riscos

Mas outro risco apontado pela ofaltmologista é o de ceratoconjuntivite, que se apresenta como prurido ocular, irritação e hiperemia conjuntival.

“As extensões dos cílios podem causar ceratoconjuntivite devido aos produtos químicos na superfície ocular.

A cola contendo formaldeído pode cair na superfície ocular durante o procedimento ou horas depois. E também pode atingir os olhos se o paciente lavar as pálpebras”, explicou.

A oftalmologista explicou sobre outras complicações:

  • Abrasão Conjuntival: hiperemia, dor, lacrimejamento e sensação de corpo estranho. A causa é pela irritação mecânica das fitas que fixam as pálpebras;
  • Hemorragia Conjuntival: a compressão mecânica na remoção das extensões dos cílios é a principal causa;
  • Alopécia por tração: os cílios naturais são perdidos devido à tração dos cílios sintéticos. Pode induzir danos adicionais aos folículos.

O tratamento desses casos pode ir desde a retirada do alongamento. Além do uso de colírios e pomadas para a reação alérgica, tampão para abrasões na córnea. E até cirurgias para a remoção da cola que ficou grudada na córnea.

 

Qual a forma correta de limpar o alongamento?

Para amenizar esses riscos, é importante se atentar a forma correta de higienizar o alongamento de cílios fio a fio.

Del Claro destaca que o produto de limpeza das pálpebras não deve ser oleoso. Porque removedores à base deste produto enfraquecem as extensões. E farão com que quebrem e caiam.

Assim, o mais indicado é o xampu neutro. Para isso, dilua com água na palma da mão e esfregue os cílios superiores e inferiores. Depois, é preciso enxaguar bem.

Outra dúvida comum é sobre quem usa lentes de contato pode fazer o procedimento. Muitos usuários sentem ardência e mais irritação. A oftalmologista alerta que o mais indicado é não combinar lentes de contato com o alongamento. Porque a cola pode ir se soltando com o tempo. E isso causa desconforto.

E o mais importante, segundo Cláudia é fazer uma consulta com o médico antes de fazer o alongamento fio a fio.

“É importante se consultar para avaliar se existem inflamações na base dos cílios. Mas não é um procedimento considerado seguro do ponto de vista da saúde ocular. Mesmo que não existam inflamações ou alterações prévias”, concluiu.

Fonte(s): Saúde Minuto, Coisas de Diva, Revista Marie Claire, Gaúcha ZH, Pubmed
Jessica Alves
Jornalista do Norte que se aventura na terra do pão de queijo, Belo Horizonte. Ama gatos e cães, é apaixonada por rock, cinema, anime antigo e cultura pop. Descobriu nas palavras o grande amor e sua fonte de renda.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui