• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Vai, planeta!

A cada ano os brasileiros produzem mais a sua própria comida, revela IBGE

13 milhões de pessoas se dedicaram à alguma produção para consumo próprio.

Seja por sustentabilidade, saúde, sobrevivência ou economia, o fato é que os brasileiros vêm aumentando a produção para consumo próprio. É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, realizada pelo IBGE em 2018. O levantamento divide a produção para consumo próprio em 4 ramos de atividades:

  • cultivo, pesca, caça e criação de animais;
  • produção de carvão, corte ou coleta de lenha, palha ou outro material;
  • fabricação de calçados, roupas, móveis, cerâmicas, alimentos ou outros produtos;
  • construção de prédio, cômodo, poço ou outras obras de construção.

Na divulgação dos resultados de 2018, o IBGE afirma que 13 milhões de pessoas, com idade a partir de 14 anos, se dedicaram à produção para consumo próprio em pelo menos uma das categorias acima – o que equivale a 7,7% da população. Em 2017, a média era de 7,3% e em 2016, de 6,3%.

As pessoas que mais se dedicam a essas atividades são pessoas não alfabetizadas ou com ensino fundamental incompleto. A atividade mais comum é relacionada à alimentação: 76,7% dos entrevistados se dedica ao cultivo, pesca, caça e criação de animais.

Marina Águas, analista da pesquisa, afirmou ao jornal Valor Econômico que não é necessariamente o fator de subsistência que motive a realização dessas atividades, apesar de ele ser importante.

A pessoa pode ter emprego, ser bem remunerado, e ter uma pequena plantação em sua casa, por hobby até (…). Claro que, para subsistência, ter a produção para o próprio consumo, é importante para a parcela pobre da população”, explica.

 

Fonte(s): Biblioteca IBGE, Valor Econômico
Daiane Oliveira
Redatora, feminista e mãe. Discute religião, política, sexo e hábitos sustentáveis. Não discute futebol porque não entende. Quem sabe um dia.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui