• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sem Crise!

7 Meses depois: Economista conta o que aconteceu após trocar o Carro pelo Uber

Ir ao trabalho, fazer supermercado, ir na padaria do bairro e até viajar. Tudo pelo Uber.

“Vai de Uber!”, com certeza alguém já te deu essa dica. Afinal, os valores são mais baixos que os cobrados pelo táxi e o conforto nem se compara ao busão, não é mesmo?

Mas e quando a pessoa já tem um carro, na hora de fazer as contas, qual dos dois será que vale mais em conta?

Eu não preciso disso. Meu marido tem dois empregos.

Se você não é casada(o) com Julius Rock, o empresário e economista Ofli Guimarães, pode te ajudar. Ele trocou o seu carro pelo Uber há 7 meses e publicou no site Medium um relato contando como tem sido a experiência.

O economista afirmou usar o serviço do aplicativo para tudo: ir ao trabalho, fazer compras do mês, ir à padoca a 500 metros de sua casa e até viajar. Segundo Guimarães, os valores que gastou com o transporte não se comparam aos gastos com o seu antigo carro.

O que mudou?

Após quase 4 mil quilômetros percorridos sendo passageiro do Uber, a sua economia total já chegou, nesses 7 meses, a R$5.000.

Guimarães confessa que, além de estar contente pela liberdade em poder beber quando quiser e não ficar refém do “estou dirigindo, não posso“, preocupações com IPVA, gasolina, seguro, multas de trânsito, limpeza e lugar para estacionar (pagando valores absurdos cobrados por estacionamentos) deixaram de existir.

A mudança também afetou a produtividade do economista, já que o tempo do trajeto foi usado para fazer ligações, responder e-mails e dar uma adiantada nas coisinhas chatas da vida e do trabalho.

Comparando os gastos

Em seu site, Guimarães publicou mais dados da experiência, comparando os gastos que tinha com seu antigo carro e os gastos que teve quando começou a usar o transporte do aplicativo.

Segundo ele, em 32 meses (2 anos e meio) que foi um cara “motorizado”, os gastos com IPVA, seguro, revisão do veículo, troca de pneus e gasolina, totalizaram cerca de R$71.100, ou R$2.221 mensais*. O veículo era um BMW 118i.

Enquanto a grana gasta com Uber só no primeiro trimestre de 2016, solicitado em 8 cidades diferentes (do mundo), custou cerca de R$1.000 por mês.

*Ele ainda diz que não levou em conta o preço que pagou pelo carro, somente os gastos com manutenção. Também não considerou as despesas com estacionamentos, flanelinhas e lava-jatos.

Quanto custa ir de Uber?

O site Valor Econômico com ajuda do professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Samy Dana, fez um comparativo entre algumas alternativas de transporte, e o Uber entrou na jogada.

Concluíram que, de fato, compensa utilizar o aplicativo, principalmente em distâncias curtas (cerca de 20km por dia).

Segundo a publicação, para fazer o percurso todos os dias na categoria UberX (mais econômica), o gasto no ano seria aproximadamente de R$16.656. Enquanto isso, usar o próprio carro no mesmo percurso significa perder R$ 19.010 do bolso – não falaram qual o modelo do veículo.

Usando o Uber Black o valor anual subiria para R$25.737, mas essa é uma categoria de luxo do serviço.

Segundo o professor, um dos maiores erros cometidos pelas pessoas ao calcular o custo de um carro próprio é não incluir o valor da depreciação do veículo, assim como gastos com impostos:

“Na comparação correta, entra tudo, desde IPVA, combustível, até seguro e manutenção”, lembra.

Além de tudo isso, Ofli Guimarães também declarou que há uma outra vantagem: livrar as cidades dos carros e, consequentemente, trazer menos problema para a nossa rotina.

Não estamos só

O brasileiro não foi o único a trocar seu carro pelo Uber.

A empresária americana Megan Quinn, também publicou no Medium sua experiência sem carro próprio após ter se mudado de Los Angeles para Londres. Ela destaca a economia como principal ponto, já que reduziu seus custos com transporte pela metade com o uso do serviço.

O SOS já publicou um comparativo entre todos os serviços de carros particulares disponíveis no Brasil e o resultado foi surpreendente. Acredite, mesmo depois de toda essa economia, Uber é o que cobra mais caro! – Não foi levado em conta o serviço UberPool, que compartilha a corrida com outras pessoas.

Para economizar ainda mais, tente utilizar outros app’s para corridas diferenciadas, como trajetos longos (o melhor é o Televo) ou com trânsito (quem se destacou foi o Cabify).

Fonte(s): Medium, Ofli, Valor Econômico, Medium
Yasmin Gomes
Yasmin Gomes é jornalista e rema contra a maré sempre que preciso. Exemplar clássico da área de humanas, não tem pudor para aplaudir o pôr-do-sol e se importar com pessoas. Signo de ar.

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui