• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

50 lugares BARATOS para sair em Belo Horizonte e impressionar (GUIA DEFINITIVO)

Conhecida como a capital mundial dos botecos, ‘Beagá’ tem muitas outras atrações.

Além de muita beleza, gente simpática e prestativa, a cidade de Belo Horizonte tem ótimos lugares baratos para sair, agradando dos boêmios aos esportistas, dos roqueiros aos forrozeiros, dos geeks aos hipsters e por aí vai.

Também conhecida como a capital mundial dos botecos (são 28 bares a cada km²), “Beagá” tem muitas outras atrações para quem quer se divertir, seja a qualquer hora do dia ou da noite, inclusive sem gastar nada.

Não sabe onde ir? Preparamos uma lista com 50 opções de lugares baratinhos ou de graça em BH. Aproveite!

 

1. Lagoa da Pampulha

A Lagoa da Pampulha é imperdível, principalmente para quem gosta da natureza e de lugares históricos. Vale até investir no aluguel de uma bicicleta ou patinete para percorrer os 18 quilômetros de sua extensão, pois assim você pode conferir as inúmeras atrações na orla. Ah, e não se esqueça de carregar o celular para fazer muitas fotos.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, s/nº – São Luiz.

Quanto: De graça.

 

2. Igreja São Francisco de Assis

Projetada por Oscar Niemeyer, é uma das atrações mais visitadas na orla da Pampulha. Além de toda a religiosidade, ela se destaca pela arquitetura, um capítulo à parte, e pelos 14 painéis de Cândido Portinari que abrigam a Via-Sacra, os baixos-relevos em bronze esculpidos por Alfredo Ceschiatti e os jardins assinados por Burle-Marx.

Também conhecida como Igrejinha da Pampulha, ela integra o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, considerado Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 3000 – São Luiz.

Quanto: De graça.

 

3. Museu de Arte da Pampulha

Primeiro projeto de Niemeyer para a Pampulha, o MAP foi construído para ser um cassino, que transformou a vida noturna de BH. Mas com a proibição do jogo no Brasil, em 1946, ele ficou fechado por mais de 10 anos. Reaberto em 1957 já como museu, seu acervo tem atualmente cerca de 1.500 obras, expostas periodicamente.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585 – Pampulha.

Quanto: De graça.

 

4. Mineirão

Maior palco do futebol mineiro e um dos principais estádios do Brasil, o Mineirão passou por grande reforma para a Copa de 2014, ganhando uma enorme esplanada, que fica aberta todos os dias. Além de andar pela esplanada, dá para conhecer o estádio do 7 a 1 por dentro, em uma visita guiada, e ir ao Museu Brasileiro do Futebol, que possui um rico acervo para os amantes da bola.

Dica: experimente o delicioso tropeiro do Mineirão.

Onde: Avenida Antônio Abrahão Caram, 1.001 – São José.

Quanto: De graça (Esplanada) / R$ 20,00 a inteira e R$ 10,00 a meia (Visita ao museu e estádio).

 

5. Mercado Central

Se for escolher apenas um lugar para visitar na capital mineira, vá sem medo ao Mercado Central. Boa parte da cultura popular belorizontina e mineira pode ser conhecida por lá. Com 90 anos de história, ele reúne um amplo e variado comércio, onde você encontra de tudo. Ah, não saia de lá sem experimentar o fígado com jiló acebolado.

Onde: Avenida Augusto de Lima, 744 – Centro.

Quanto: De graça (entrada).

 

6. Museu de Artes e Ofícios

O Museu de Artes e Ofícios é um lugar de encontro do trabalhador consigo mesmo. Seu acervo tem milhares de peças originais representativas do universo do trabalho, das artes e dos ofícios. Ferramentas, instrumentos, utensílios, máquinas e equipamentos dos séculos XVIII ao XX são algumas delas, dispostas em um prédio histórico da capital.

Onde: Praça Rui Barbosa, 600 – Centro.

Quanto: A partir de R$ 3,00.

 

7. Sesc Palladium

O Sesc Palladium é um centro cultural preparado para receber as mais variadas linguagens artísticas e expressões culturais, apresentando uma programação bem diversificada. Exposições, shows, performances, espetáculos teatrais, filmes fora do circuito comercial, palestras e debates são algumas das atrações que fazem desse local perfeito para os amantes da cultura.

Onde: Rua Rio de Janeiro, 1.046 – Centro.

Quanto: Tem atrações gratuitas e outras pagas (a partir de R$ 10,00).

 

8. Museu dos Brinquedos

Sabe aquele videogame antigo que você nunca mais viu? Ou a boneca que te fez companhia durante os primeiros anos de vida? E os jogos de tabuleiro com os quais aprendeu muitas coisas?

Tudo isso e muito mais é possível ver e rever no Museu dos Brinquedos de BH, cujo acervo tem cerca de 5 mil peças, de bonecas a carrinhos, passando por games, autoramas, robôs, pelúcias, cavalinhos de pau, fantoches e jogos, entre muitos outros, um rolê bem nostálgico.

Onde: Avenida Afonso Pena, 2.564 – Funcionários.

Quanto: R$ 24,00 (inteira) e R$ 12,00 (meia).

 

9. Palácio das Artes

Outro espaço cultural imperdível é o Palácio das Artes, onde se localiza um dos maiores centros de produção, formação e difusão cultural da América Latina. Peças teatrais, concertos, óperas, shows, espetáculos de dança, oficinas, cursos e muito mais movimentam o local. Há ainda biblioteca, galeria de arte, musicoteca, hemeroteca, café e livraria, além dos jardins internos do palácio, com muitas opções para você se divertir e relaxar.

Onde: Avenida Afonso Pena, 1.661 – Centro.

Quanto: Preços variam conforme o evento, mas há uma boa programação gratuita (é possível visitar algumas áreas do Palácio sem pagar nada).

 

10. Parque Municipal

Uma área verde gigante no coração da cidade é o Parque Municipal Américo Renné Giannetti, inaugurado em 1897. São mais de 180 mil m² de área, que abriga um parque de diversões, orquidário, teatro e parte do Palácio das Artes.

Calce seu tênis para fazer mini-trilhas em meio a uma fauna e flora com enorme variedade de aves, mamíferos, insetos, borboletas, plantas ornamentais, árvores exóticas e plantas medicinais, ou apenas curta a natureza com a paquera. Há ainda três lagoas, nascentes, espaços para esportes e muitos lugares para deitar e descansar.

Onde: Avenida Afonso Pena, 1.377 – Centro.

Quanto: De graça.

 

11. Cine Humberto Mauro

Fuja da programação do cinema comercial indo ao Cine Humberto Mauro, que conta com uma vasta programação alternativa e gratuita. Localizado dentro do Parque Municipal, ele é palco de muitas mostras, retrospectivas, festivais e outros tipos de eventos, um ponto de encontro dos amantes da sétima arte.

Onde: Avenida Afonso Pena, 1.537 – Centro.

Quanto: De graça.

 

12. Feira Hippie

Todos os domingos, parte da Avenida Afonso Pena é fechada para a Feira Hippie de BH, que reúne milhares de expositores, vendendo roupas, acessórios, calçados, artesanatos, brinquedos, móveis e outros tipos de produtos. Música e apresentações artísticas também agitam o espaço.

Aproveite para se juntar aos cerca de 60 mil visitantes semanais da Feira da Afonso Pena, incluindo turistas de todos os cantos do país e do exterior, saboreie a culinária mineira e se refresque com uma cerveja gelada.

Onde: Avenida Afonso Pena, próximo ao número 1.060 – Centro.

Quanto: De graça.

 

13. Praça da Liberdade

Construída no início do século XX, ela tem um complexo paisagístico e arquitetônico marcante, incluindo traçado e jardins inspirados no Palácio de Versalhes. Ela já foi a sede do poder mineiro, mas hoje abriga um circuito cultural completo, além de receber muitos eventos, manifestações e pessoas fazendo caminhadas. Entre dezembro e janeiro, ganha outra cara, com a bela decoração de Natal.

Onde: Praça da Liberdade, s/nº – Funcionários (entre as Avenidas Bias Fortes, João Pinheiro e Brasil).

Quanto: De graça.

 

14. Arquivo Público Mineiro

Instituição Cultural mais antiga de Minas Gerais, o Arquivo Público Mineiro permite acessar um vasto acervo de milhares de documentos dos períodos colonial, imperial e republicano. Há mapas dos séculos XVIII e XIX, fotografias, documentos da Inconfidência Mineira, materiais referentes à escravidão, filmes que contam a história do estado etc. Outro destaque é a biblioteca com 12 mil títulos, dos quais 2.500 considerados obras raras.

Onde: Avenida João Pinheiro, 372 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

15. Espaço do Conhecimento UFMG

Integrante do Circuito Liberdade, o Espaço do Conhecimento UFMG é o destino perfeito para quem gosta de ciências e tecnologia. Os destaques são o Terraço Astronômico, onde dá para observar o céu com o auxílio de equipamentos e a orientação de astrônomos, e o Planetário, área em que você vê uma simulação do céu real.

Onde: Praça da Liberdade, 700 – Funcionários.

Quanto: De graça – Terraço / R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia) – Planetário.

 

16. Museu das Minas e do Metal

Continuando na Praça da Liberdade, descubra o mundo dos minerais e do metal visitando este museu, que celebra algumas das principais atividades econômicas do estado. Além do conhecimento adquirido ao visitar o MM Gerdau, você também pode tomar um delicioso café com pão de queijo e levar algumas lembrancinhas para casa.

Onde: Praça da Liberdade, s/nº, Prédio Rosa – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

17. Centro Cultural Banco do Brasil

Música, teatro, cinema, exposições, artes cênicas e educação. É o que você encontra no CCBB BH, um local para ir sem pressa. O prédio, em estilo eclético, com influências neoclássicas e art déco, é outra atração, perfeita para ganhar pontos com aquela paquera da área de arquitetura.

Onde: Praça da Liberdade, 450 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

18. Casa Fiat de Cultura

A Casa de Fiat de Cultura apresenta coleções e exposições de renomados artistas nacionais e internacionais, abrangendo movimentos como renascimento, surrealismo, barroco, expressionismo etc. Artistas como Caravaggio, Rodin, Portinari, Chagall e Aleijadinho, entre muitos outros, já tiveram suas artes expostas na entidade. Esse é um lugar perfeito para quem curte exposições de arte.

Onde: Praça da Liberdade, 10 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

19. Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais

Ir à Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais é quase uma obrigação para os apaixonados pela leitura. São mais de 570 mil exemplares à disposição, entre os quais obras raras, além de acervo digitalizado, audiolivros, acervo em braile, revistas e jornais novos e antigos. O espaço tem ainda galeria de arte, salas para cursos, teatro, e local de estudos.

Onde: Praça da Liberdade, 21 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

20. Palácio da Liberdade

Na chegada à Praça da Liberdade, você verá que as palmeiras levam a um belo edifício. Trata-se do Palácio da Liberdade, antiga sede do governo estadual, palco de decisões que marcaram a história do povo mineiro e brasileiro. A área interna tem atrações como a bela escadaria principal, os lustres em cristal, os candelabros em bronze dourado e o mobiliário, que levam a uma verdadeira viagem no tempo.

Onde: Praça da Liberdade, s/nº – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

21. Museu Mineiro

Outro local para conhecer mais sobre a história de Minas Gerais é o Museu Mineiro, que funciona em um casarão do século XIX integrante do conjunto arquitetônico original da capital. Imagens sacras, achados arqueológicos, armas, móveis, moedas e equipamentos litúrgicos são alguns dos itens guardados lá, junto à Pinacoteca do Estado.

Onde: Avenida João Pinheiro, 342 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

22. Centro de Arte Popular Cemig

O prédio erguido na década de 1920 já foi residencial, sede de hospital e hoje abriga o Centro de Arte Popular Cemig, um espaço para conhecer a pluralidade da cultura mineira. Diferentes manifestações da arte popular mineira têm espaço no CAP, incluindo obras de todos os cantos do estado.

Onde: Rua Gonçalves Dias, 1.608 – Lourdes.

Quanto: De graça.

 

23. Memorial Minas Gerais Vale

Encerrando o passeio ao Circuito Liberdade, dê uma passada no Memorial Minas Gerais Vale, localizado no prédio em que foi lançada a pedra fundamental de Belo Horizonte. Lá você encontra cenários reais e virtuais, criando sensações e experiências que levam a um passeio pelo passado, presente e futuro.

Onde: Praça da Liberdade, 640 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

24. Praça da Estação

BH não tem mar, mas nem por isso você vai deixar de ver pessoas se divertindo como se estivessem na praia. Isso acontece na Praia da Estação, um dos muitos movimentos de ocupação dessa praça centenária. Além da “praia”, o local também é palco de muitos shows, manifestações culturais e políticas. Você pode ainda se divertir nas fontes e conferir de perto a bela estátua Monumento à Terra Mineira, que homenageia os mártires de Inconfidência Mineira.

Onde: Praça Rui Barbosa, s/nº – Centro.

Quanto: De graça.

 

25. Praça do Papa

Há ótimos lugares para ver o pôr do sol em BH e um dos melhores é a Praça do Papa, que oferece uma linda vista da cidade. Situada próxima à Serra do Curral e a 1.100m de altitude, a Praça Governador Israel Pinheiro recebeu o apelido após a visita do Papa João Paulo II, que ao realizar uma missa no local, em 1980, comentou: “Que belo horizonte!”.

Onde: Avenida Agulhas Negras, s/nº – Mangabeiras.

Quanto: De graça.

 

26. Parque das Mangabeiras

Pertinho da Praça do Papa fica o Parque das Mangabeiras, projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx, um dos mais bonitos redutos ecológicos da cidade. São mais de 2,3 milhões de m² de área verde, com muitos espaços para a prática de esportes e atividades culturais, além de trilhas em meio a micos, esquilos e outros animais.

Ir ao parque encravado na Serra do Curral é uma ótima pedida para se refrescar nos dias mais quentes. E não se esqueça de levar o comprovante de vacinação contra a febre amarela, exigido na entrada.

Onde: Avenida José do Patrocínio Pontes, 580 – Mangabeiras.

Quanto: De graça.

 

27. Mirante do Mangabeiras

A melhor vista panorâmica de BH está no Mirante do Mangabeiras, de onde dá para fazer fotos incríveis, ver o pôr do sol, eclipses da lua e alguns dos pontos turísticos locais. Lugar perfeito para um passeio romântico.

Vá bem agasalhado, principalmente em períodos mais frios, pois venta muito no local. E se quiser aproveitar a vista noturna, chegue antes das 19h30 — depois deste horário é proibida a entrada.

Onde: Rua Pedro José Pardo, 1.000 – Mangabeiras.

Quanto: De graça.

 

28. Mirante da Mata

Outro lugar interessante para quem quer ver a cidade do alto e registrar belas imagens. Estamos falando do Mirante da Mata, que fica dentro do Parque das Mangabeiras. De lá é possível ver todo o parque, boa parte da região metropolitana e também a Serra do Curral. Mas fique atento ao horário de visitação, que se encerra às 17h.

Onde: Avenida José do Patrocínio Pontes, 580 – Mangabeiras.

Quanto: De graça.

 

29. Parque Lagoa do Nado

Pertinho da Pampulha, o Parque Lagoa do Nado é um dos principais pontos de lazer da região norte. O local, que era uma fazenda até a década de 1970, hoje abriga um parque com 311 mil m² de área, com fauna e flora riquíssimas. Ir ao Lagoa do Nado é um convite para praticar esportes, pois há espaços para inúmeras modalidades. Vale destacar as competições de skate que ocorrem no parque, inclusive com a presença de grandes nomes do esporte.

Onde: Avenida Desembargador Lincoln Prates, 240 – Itapoã.

Quanto: De graça.

 

30. Bater perna no Centro de BH

Nada melhor para conhecer uma região do que andar a pé por ela. Fazendo isso no centro da capital mineira, você vai conhecer muitos dos lugares citados neste guia, além de ver a famosa Praça 7, shoppings populares baratinhos e muito mais. Para saciar a fome, há inúmeras lanchonetes com o típico pão de queijo, pastelarias baratas e bares históricos. Não podemos deixar de citar os clássicos botecos, onde você gasta bem pouco para tomar uma gelada.

Onde: Centro

Quanto: De graça.

 

31. Mirante de Arte Urbana da Rua Sapucaí

Alguns prédios históricos do centro de BH receberam pinturas gigantes (os murais têm entre 450 m² e 1.700 m²). Todas essas obras podem ser vistas da Rua Sapucaí, a qualquer hora do dia, a olho nu ou com as lunetas de aproximação. Quando for até lá, aproveite também os bares e os eventos que sempre acontecem nesta rua, especialmente aos fins de semana.

Onde: Rua Sapucaí, s/nº – Floresta.

Quanto: De graça.

 

32. Parque da Serra do Curral

Símbolo de BH, a Serra do Curral é a parte mais alta da capital. Lá se encontra um parque com área de 400 mil m², no qual há muitas trilhas, mirantes e espaços de convivência. Caso vá pensando em fazer trilhas no Parque da Serra do Curral, esteja com o preparo físico em dia, pois as subidas são cansativas, e não se esqueça de levar água e lanches. Para algumas trilhas é preciso o acompanhamento de guias especializados.

Dica: leve o comprovante de imunização contra a febre amarela.

Onde: Avenida José do Patrocínio Pontes, 1.951 – Mangabeiras.

Quanto: De graça.

 

33. Feira do Mineirinho

De volta à região da Pampulha, outro lugar interessante para conhecer é a Feira do Mineirinho, onde há centenas de expositores comercializando artesanato, bijuterias, calçados e roupas, entre outros produtos. O funcionamento é das 17h às 22h, às quintas, e das 8h às 17h, aos domingos, e no espaço também há shows musicais, gastronomia e outras atrações.

Onde: Avenida Antônio Abrahão Caram, 1.000 – São Luiz.

Quanto: De graça.

 

34. Casa do Baile

Parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, a Casa do Baile está situada em uma pequena ilha artificial. Local de entretenimento nas noites belorizontinas de 1943 a 1948, ela funciona atualmente como centro de cultura. A programação inclui exposições temporárias, palestras, seminários e outros eventos ligados à arte. Quem é das áreas de arquitetura, urbanismo e design certamente vai gostar de ir até lá.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 751 – São Luiz.

Quanto: De graça.

 

35. Zoológico de BH

Não é todo dia que você tem a chance de ver de perto gorilas, leões, rinocerontes, girafas, elefantes, onças, araras e muitos outros animais, certo? A ida ao Zoo de BH vale a pena acompanhado ou mesmo a sós. Uma dica legal é conferir a visitação noturna, para descobrir como os animais se portam neste horário (essa visita é guiada e cheia de informações).

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000 – Pampulha.

Quanto: A partir de R$ 4,95.

 

36. Aquário da Bacia do Rio São Francisco

Faça um passeio completo na região indo ao Aquário da Bacia do Rio São Francisco, que funciona dentro do Zoológico. São 22 tanques, de formatos e tamanhos variados, nos quais vivem 60 espécies de peixes encontradas no “Velho Chico”, como surubim, dourado, curimatã, cascudos, mandis e piramebas. O espaço representa, de forma cenográfica, tanto a margem quanto o fundo do rio, e assim como no zoo também tem visitações noturnas, abertas em datas especiais.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000 – Pampulha.

Quanto: R$ 7,45 (mais o ingresso do zoológico).

 

37. Parque Ecológico da Pampulha

Um lugar para fazer piquenique, praticar slackline, soltar pipa, andar de bicicleta, fazer caminhada ou simplesmente descansar. Este é o Parque Ecológico Francisco Lins do Rego, seu nome oficial. Neste espaço que se localiza próximo ao zoológico também se encontra o Memorial da Imigração Japonesa, uma homenagem ao país asiático.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 6.061 – Pampulha.

Quanto: De graça.

 

38. Igreja São José

A Igreja São José está sempre de portas abertas para quem deseja renovar a sua fé, agradecer e fazer novos pedidos. Erguida no início do século XX, ela se destaca numa região cheia de edifícios, com a sua bela arquitetura eclética de influência neogótica. O belíssimo interior chama a atenção, com destaque para o altar-mor, em que um painel retrata a Santíssima Trindade em meio a anjos e santos e para as pinturas no teto e laterais.

Onde: Rua Tupis, 164 – Centro.

Quanto: De graça.

 

39. Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem

Também de estilo neogótico, a Igreja da Boa Viagem foi construída no mesmo lugar em que havia uma capela de pau-a-pique, onde tropeiros viajantes paravam para rezar ao longo do século XVIII. Hoje, a imponente igreja da padroeira de Belo Horizonte tem um interior repleto de vitrais e altar em mármore de Carrara, consistindo em um dos locais mais procurados pelos casais selarem a sua união.

Onde: Rua Sergipe, 175 – Funcionários.

Quanto: De graça.

 

40. Museu Histórico Abílio Barreto

Um casarão secular, que preserva a história de BH como nenhuma outra edificação da cidade. Assim é o Museu Histórico Abílio Barreto, que guarda itens como um bonde elétrico e uma locomotiva a vapor. Seu acervo gigante inclui milhares de registros fotográficos e textuais, além de objetos como quadros, esculturas, utensílios domésticos, vestuário e instrumentos de trabalho que contam como a cidade cresceu.

Onde: Avenida Prudente de Morais, 202 – Cidade Jardim.

Quanto: De graça.

 

41. Museu Casa Kubitschek

A antiga casa de campo de Juscelino Kubitschek se transformou em um concorrido museu de BH, que conta a história de um imóvel modernista das décadas de 1940, 1950 e 1960. O Museu Casa Kubitschek preserva praticamente todas as características da residência original, incluindo o telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados, além da decoração do interior.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4.188 – Bandeirantes.

Quanto: De graça.

 

42. Bairro Santa Tereza

Se não tem mar, vai pro bar. Esse é o espírito dos boêmios de Beagá, e um bairro que o representa bem é Santa Tereza. Há bares para todos os gostos e bolsos, entre os quais o Bar do Orlando, o bar mais antigo de BH, e o tradicional Bolão. A região também possui uma grande ligação com a música, pois lá nasceram o Clube da Esquina (movimento que incluía nomes como Milton Nascimento e Lô Borges) e a banda Sepultura.

Onde: Bairro de Santa Tereza, zona leste da cidade.

Quanto: De graça.

 

43. Edifício Maletta

Outra região boêmia da capital dos botecos é o Edifício Maletta, uma boa pedida para reunir os amigos ou levar a paquera. O prédio, que é comercial e residencial, abriga bares, restaurantes, livrarias, sebos e outros tipos de negócios. No segundo andar, a varanda é o lugar mais disputado, e para achar uma mesa é preciso chegar cedo, principalmente às sextas-feiras.

Onde: Rua da Bahia, 1.148 – Centro.

Quanto: De graça.

 

44. Savassi

A charmosa região da Savassi é ponto de encontro das mais diferentes tribos, que se reúnem nas praças, bares, lanchonetes, casas noturnas, cafés e livrarias. Eventos como a Feirinha da Savassi, às quintas, e os diversos tipos de festivais temáticos aos fins de semana, que levam ao fechamento de alguns quarteirões, também são destaque, trazendo muitas opções de diversão.

Onde: Savassi (região centro-sul)

Quanto: De graça.

 

45. Cine Theatro Brasil Vallourec

Reaberto há alguns anos, este local tem muita história para contar, pois durante as décadas de 1930 e 1940 abrigava o maior cinema e teatro da cidade, sendo invadido por multidões nas estreias de filmes e peças. Depois de muito tempo fechado, o Cine Theatro Brasil Vallourec é hoje um centro cultural moderno e cheio de atrações, que ainda preserva algumas características originais da sua fantástica arquitetura.

Onde: Avenida Amazonas, 315 – Centro.

Quanto: Preços variam conforme o evento.

 

46. Cine Belas Artes

Quer impressionar a sua companhia mostrando que você entende de cinema e não conhece só os blockbusters? Vá com ela/ele ao Cine Belas Artes! Além de filmes independentes, o único cinema de rua de BH tem um clima bem diferente dos cinemas de shopping, incluindo um charmoso café e livraria, para os debates após cada sessão.

Onde: Rua Gonçalves Dias, 1.581 – Lourdes.

Quanto: A partir de R$ 16,00 (inteira).

 

47. Parque Guanabara

Se o seu espírito juvenil anda meio adormecido, liberte-o se divertindo no Parque Guanabara. Os mais radicais têm opções como os brinquedos Surf, Mirage e Skyfall, enquanto os mais calmos podem escolher os clássicos barco Viking, carrinho bate-bate (ou tromba-tromba) e fliperamas, entre outros. Para um clima mais romântico, a dica é andar na roda-gigante durante o pôr do sol, pois de lá o casal terá uma linda vista da Lagoa da Pampulha. Algodão doce, pipoca e outras guloseimas completam o passeio.

Onde: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 3.333 – São Luiz.

Quanto: A partir de R$ 4,00.

 

48. Parque das Águas

Fazer uma caminhada em meio a tucanos, corujas, pica-paus, sabiás, esquilos e tamanduás, entre outras espécies, é o charme do Parque das Águas, inserido no complexo ecológico da Serra do Rola-Moça. É um ótimo refúgio em meio à natureza, para espantar o stress do dia a dia.

Onde: Avenida Ximango, 809 – Flávio Marques Lisboa.

Quanto: De graça.

 

49. Praça JK

Pessoas fazendo caminhadas e corridas, batendo papo, descansando, ciclistas, skatistas e muitas famílias com cães é o que encontramos diariamente nessa tradicional praça da região sul de BH. Também chamada de Parque Municipal Juscelino Kubitschek, ela costuma ser fechada em várias ocasiões ao ano, mas por bons motivos: muitos eventos culturais gratuitos, principalmente shows musicais.

Onde: Avenida dos Bandeirantes, 240 – Sion.

Quanto: De graça.

 

50. Tirolesa BH

Encerramos o guia com uma sugestão mais salgada, que vale a pena! Uma aventura radical e pra lá de emocionante: ir à Tirolesa BH. São 800 metros de extensão, muita adrenalina e velocidade de 100 km/h, passando por cima do Parque das Mangabeiras. Antes de encarar a descida, não se esqueça de conferir os requisitos para o passeio.

Onde: Rua Pedro José Pardo, 1.000 – Mangabeiras.

Quanto: a partir de R$ 50,00.

Fonte(s): Almanaque SOS
Andre Dias
Queria ser jornalista, jogador de futebol ou guitarrista. Escolheu a primeira opção e ficou satisfeito.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui