• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sem Crise!

5 Dicas certeiras para finalmente deixar a casa dos pais

Passo a passo para não entrar em frias.

Se você gostaria de ser dono do próprio nariz e ter um lar para chamar de seu, saiba que essa ideia pode não estar tão longe como parece.

E olha, nem vai precisar girar o peão da casa própria!

Uma matéria publicada pela revista Exame apresenta alguns conselhos valiosos que podem te dar aquele empurrãozinho para finalmente deixar a casa dos seus pais.

Segundo especialistas entrevistados pelo site, mesmo com pouco dinheiro (mas bastante organização e planejamento), esse teu projeto de vida pode, sim, sair do papel. Se liga!

***

1. Faça um teste

De acordo com o educador financeiro Álvaro Modernell, comece fazendo um teste, lavando as suas roupas, pagando suas despesas e resolvendo alguma pendência da casa dos seus pais mesmo, por sua conta e risco.

“Não é só a organização financeira que importa. Há muito mais coisas para resolver, das quais não temos ideia antes”, reforça o sócio da empresa Mais Ativos.

Segundo Mauro Calil, fundador da Academia do Dinheiro, também é bom anotar o valor que você irá precisar para se sustentar. Vale perguntar para amigos que já vivem sós quanto eles gastam com contas básicas como aluguel, luz, água e telefone.

E não se esqueça de incluir extras como manutenção, gordices no supermercado ou saídas no final de semana. Se a grana bater com seu salário, se joga. Se não, procure aluguel mais em conta, consiga grana extra, ou adie essa “aventura”.

 

2. Poupe uma graninha

Segundo os profissionais, o ideal para sair da casa dos pais seria se você tivesse uma grana guardada. Esse valor pode ser usado na hora de comprar móveis ou eletrodomésticos, ou até mesmo te dar uma mão caso você seja demitido ou algum outro imprevisto aconteça.

O especialista Mauro Calil, recomenda que a gente guarde o equivalente a um ano de despesas. Se for possível, pegue de 50% a 70% do seu pagamento e aplique esse valor em algum investimento simples, como o título público Tesouro Selic.

Já para o educador financeiro Modernell, você pode poupar um pouco menos se for uma pessoa que gosta de se arriscar ou deseja ter o seu próprio lar com uma certa urgência. Para ele, guardar três meses de despesas já são suficientes para começar, e se caso utilizar essa reserva, não esqueça de repor.

 

3. Faça escolhas que cabem no seu bolso

Não adianta querer morar em uma mansão se você só tem dinheiro para bancar uma quitinete. Na hora de definir a localização, preço e características do imóvel, pense naquilo que cabe no seu bolso.

“Você terá que fazer escolhas. Talvez precise alugar um apartamento menor para se enquadrar no preço e no bairro desejado, por exemplo”, explica Gabriel Braga, do site especializado em imóveis Quinto Andar, que também orienta à galera a só visitar os locais que realmente se encaixem no orçamento.

Outra conselho valioso é nunca se esquecer que a casa que você mora com seus pais foi conquistada em muitos anos, o que significa que você também levará um tempo para ter tudo que deseja.

Não saia de casa com a expectativa de manter o padrão de vida. Estabeleça objetivos adequados”, ressalta Calil.

 

4. Pesquise antes como funciona o aluguel

Segundo Gabriel Braga, cada proprietário segue uma linha de exigências, mas é bom você saber antes de sair por aí que muitos deles querem que você tenha um fiador, pague um seguro-finança ou deposite alguns aluguéis adiantados.

Geralmente são eles quem escolhem a forma de garantia antes de anunciar a locação. Fora isso, é muito comum ser exigido que a renda de quem alugue seja três vezes maior que o valor mensal a ser pago.

Se você for dividir o apê, pode somar teu salário com o do seu amigo. Se mesmo assim não der, outra pessoa pode entrar como co-locatária. A boa notícia é que nesse período de crise financeira do país, o momento é ideal para pechinchar e conseguir abaixar os preços.

“Para isso, é legal contar a sua história, mostrar quem você é. O dono do imóvel precisa confiar em você”, ensina Braga.

 

5. Se for dividir com alguém, crie regras

Muita gente prefere deixar a casa dos pais para morar com alguém antes de encarar esse desafio sozinho. Se esse for o seu caso, Modernell aconselha combinar antes tudo com seu amigo(a), namorada(o) ou colega.

Vale aqui estabelecer algumas regrinhas que vão desde a divisão de contas para pagar, até mesmo quais os dias de cada um lavar a louça ou dar uma geral na casa.

Segundo o especialista, uma boa saída é dividir as despesas básicas e os materiais de limpeza. Já os gastos menores, tipo o macarrão instantâneo e a cerveja, podem ser pagos individualmente.

“Ser pontual e não deixar o outro na mão é essencial”, explica o orientador financeiro.

Fonte(s): Exame
Felipe Gatto
Jornalista apaixonado por viajar e se aventurar por aí. Pensar na vida, defender o amor e falar sobre artes também é comigo mesmo.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui