• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Atitude Coletiva

chevron_left
chevron_right

3 Truques para evitar o temido Silêncio Constrangedor

Levou o crush pro barzinho e o papo não flui? Eis as soluções!

Você finalmente está com o crush num barzinho, clima perfeito pra paquera, mas o papo não flui? O silêncio entre uma frase vaga e outra está de matar? Que situação…

1-JDeGxUSdrd40G0cIC7lX8g

A escritora americana Vanessa Van Edwards, autora do best seller “CAPTIVATE: The Science of Succeeding with People” (“Cativar: A ciência de como se dar bem com as pessoas”) revelou em sua obra um truque bem simples para evitar esse silêncio constrangedor, nomeado como “The Thread Teory“, em português “A Teoria do fio“.

A técnica recebeu esse nome pois a autora sugere metaforicamente que cada pessoa possuí um novelo de lã, onde cada fio é um tipo de pensamento, ideia ou opinião – ou seja, assunto é o que não deve faltar.

Baseada em apenas 3 passos que, segundo a autora, fazem a conversa fluir maravilhosamente bem, praticar a teoria promete aumentar o entrosamento entre você a outra pessoa. Se liga como!

 

1. Encontre o tópico

Imagine que você deve conduzir essa conversa criando tópicos mentais dos assuntos que você pode abordar. Edwards revela que basicamente existem três categorias principais:

  • Pessoas: as pessoas que vocês conhecem em comum são uma maneira excelente (e fácil) de começar uma boa conversa. Geralmente a galera adora falar de outras pessoas, revela a autora, portanto, conversem e tentem descobrir se não tem “uma amiga, da amiga, da amiga, que é sua amiga também“.

  • Contexto: Se não tiver nadinha em comum com a pessoa, uma coisa é certa. Vocês dois estão no mesmo lugar e na mesma hora. Falem sobre o ambiente que estão, pergunte se já conhecia ali antes, se está gostando, etc.

  • Interesses: Você deve puxar conversa através dos assuntos que aparentemente vocês tem em comum. Esse tópico renderá conversas longas e bastante naturais, já que o papo será sobre uma paixão mútua. Observe o estilo da pessoa, o que ela está usando, por exemplo, uma camiseta de banda, um chaveiro esotérico, esses detalhes já podem revelar algum gosto pessoal, use isso para iniciar a conversa.

Mas não se apavore se inicialmente nada sair como planejado. Ao perguntar se a pessoa está gostando da festa e ouvir apenas um “aham” como resposta, não se desanime. A autora revela que cada resposta que você conhece, é um passo a mais na conversa.

Questione, “está gostando por quê?“, “eu também estou gostando, você reparou que a bebida está mais forte?“. Dê corda para conversa fluir.

 

2. Siga o tópico

A “teoria do fio” não consiste em simplesmente abordar esses três pontos mencionados acima. A autora revela que para tudo dar certo, é preciso explorá-los, ir à fundo. Não deixe passar nenhum informação, questione, pergunte e deixe-se ser questionado também. O “por quê?” é o grande segredo.

Como exemplo, a autora ilustra uma situação de diálogo, onde você conhece um cara no casamento da sua irmã. Segundo a profissional, se seguirmos esse tópico, observando a linha de pensamento que estimula a conversa, teremos uma interação muito mais profunda. Veja o exemplo:

Você: Por que decidiu se tornar empresário?

Cara: Eu sempre quis começar meu próprio negócio.

Você: Interessante. Sempre quis isso?

Cara: Eu realmente queria flexibilidade e liberdade nas horas de trabalho, e eu sabia que nunca conseguiria isso com um chefe.

Você: Eu me sinto da mesma maneira. Por que estava procurando por mais flexibilidade?

Cara: Ah, eu adoro viajar, então eu queria poder trabalhar de qualquer lugar.

Você: Isso é maravilhoso. Eu também sou um grande viajante, acabei de voltar do Chile. Ama viajar por algum motivo específico?

Cara: Eu estou morrendo de vontade de ir para o Chile! Adoro viajar porque acho importante sair da zona de conforto e experimentar diferentes culturas.

Você: Isso é verdade. Conheci as pessoas mais interessantes nas minhas viagens. Mas por que você acha que é tão importante sair da zona de conforto?

Cara: Hmmm, boa pergunta. Eu sou mais feliz quando estou tentando coisas novas, vendo coisas novas, experimentando coisas novas. E quanto a você? De onde você acha que a felicidade vem?

 

3. Crie laços

Esse último passo, na verdade, é opcional e deve ser usado apenas em interações mais especiais, revela Edwards. Quando o papo já estiver fluindo razoavelmente bem, você pode dar seu “golpe de mestre” e levar esse papo para um outro nível.

Segundo a autora, oferecer ajuda, apoio ou conselho a alguém relativamente novo em nossas vidas tem o grande poder de criar um vínculo mais profundo entre as pessoas. Essa ajuda normalmente vai aparecer de maneira orgânica, nada forçado ou muito pessoal, basta ficar atento a conversa. A especialista ainda mostra alguns exemplos:

  • Como você é novo na cidade, posso enviar uma lista dos meus restaurantes locais favoritos.

  • “Tenho certeza de que conheço alguém nesse setor – conecte-se comigo no LinkedIn, vou apresentá-lo.”

Se nada específico rolar durante uma conversa, você pode se mostrar disponível para ajudar, caso a pessoa precise de algo em um futuro próximo. Vanessa revela que normalmente termina seus melhores encontros com a famosa frase “posso te ajudar com alguma coisa?“.

“Perguntar não só me dá a oportunidade de criar um vínculo, mas também me ensina algo novo sobre a pessoa“. – declara a escritora.

Fonte(s): Motto
Redação - Almanaque SOS
Sempre tem jeito. Acompanhe o SOS também pelo Facebook, Instagram e Twitter

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui