• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Crossfit Mental

chevron_left
chevron_right

12 Filmaços em que o Mal vence

Porque na vida nem sempre o mocinho triunfante leva a melhor.

Nem todos os filmes precisam ter um mocinho triunfante, concorda?

post-29975-Problem-Child-devil-Satan-wavi-A6F0

Na história do cinema existem vários filmes nos quais o vilão é quem leva a melhor! E tem aqueles em que o vilão nem existe, mas ainda assim, o mocinho só se lasca. Isso não quer dizer que são filmes ruins, nesse artigo a minha missão é essa: Indicar filmes geniais em que o famoso “Final Feliz”, pode não ser tão feliz assim.

 

O Homem de Palha

The Wicker Man – 1973

Pipocômetro:

vale pipoca pequenaVale Pipoca Pequena: Salvo pela temática religiosa contestadora, mas as cenas cantadas são sofríveis.

O sargento Howie é convocado a procurar uma adolescente sumida numa ilha distante do continente. Ele chega para investigar o caso, mas as pessoas parecem não conhecer a possível vítima, a jovem Rowan Morrison. Os habitantes da ilha parecem ter estranhos hábitos, como cantorias de cunho sexual e ensino de adoração ao falo masculino na escola. O sargento passa a visitar as moradores, procurando por pistas e é quando ele conhece o Lorde Sommerisle (Christopher Lee), o mentor desse povo. Ele explica que para ilha prosperar novamente, seus antepassados usaram a religião para incentivar os moradores a investir na agricultura, fazendo suas lavouras prosperarem rapidamente. O sargento confronta o Lorde, afirmando que o cristianismo é o que deveria ser ensinado na ilha, e não o paganismo. O sargento segue procurando pela menina sumida, mas o povo da ilha parece não dar muita bola para ele.

 

Um Estranho no Ninho

One flew over the cuckoo’s nest – 1981

Pipocômetro:

vale pipoca turboVale Pipoca Turbo: Genial! É curioso ver atores como Danny DeVito, Christopher Lloyd e o próprio Nicholson bem jovens.

Randall Macmurphy é um preso americano, que acaba de ser transferido para um manicômio para ter sua loucura testada. Acreditam que ele finge ser maluco para não trabalhar – mas será que ele é realmente doido? Com uma personalidade agitada e contestadora, Macmurphy cria uma confusão entre os internos e compra briga com a rígida enfermeira Ratched. Ela não gosta que Macmurphy incentive os companheiros, e tenta manter tudo dentro da ordem. Macmurphy faz de tudo para sobreviver ao tédio do manicômio e cria laços com os pacientes maluquinhos. O filme é divertido, sensível e forte. Obra prima!

Curiosidade: O filme ganhou o “Big Five”, melhor Oscar de filme, ator, atriz, direção e roteiro.

 

Brazil: O Filme

Brazil – 1985

Pipocômetro:

vale pipoca grandeVale Pipoca Grande: As situações absurdas em cenários de ficção científica nos faz pensar sobre como vivemos atualmente. Muito bem sacado!

Ambientado em um futuro impreciso, mas com fortes influências dos anos 50, este é um dos filmes mais criativos e malucos da história. Sam Lowry é um servidor público do Departamento de Cadastros de um país onde a burocracia reina. A situação política não é fácil, e passa um por um período no qual terroristas explodem todo tipo de lugares públicos. Restaurantes, shoppings, lojas. O Ministério da Informação mantém o controle de tudo do que deve ou não ser feito, agindo com rigor em casos de possíveis ilegalidades. E é num desses casos que Sam se mete, tentando salvar uma mulher que constantemente aparece em seus sonhos, e por quem acaba se apaixonando. Com humor e direção de arte afiados, vemos um mundo idealizado sobre cirurgias plásticas, explosões e muitos formulários burocráticos – não sei porque, mas isso me parece tão comum.

 

O Silêncio dos Inocentes

The silence of the lambs – 1991

Pipocômetro:

vale pipoca grandeVale Pipoca Grande: Clássico! Não teria como dar uma pipoca menor.

Um dos mais famosos suspenses da história do cinema. MOMENTO SPOILER: O longa não mostra a vitória do mal, mas sim de um grande vilão. Clarice Starling (Jodie Foster) é uma agente prestes a se formar na FBI e é escolhida pelo seu superior para entrevistar um assassino canibal, o Dr. Hannibal Lecter (Anthony Hopkins). Ela não entende bem o porque em ser escolhida, mas logo percebe que suas entrevistas podem ajudar a desvendar uma série de assassinatos, praticados pelo serial killer, Buffalo Bill. O assassino depois de matar as vítimas, esfola e desova seus cadáveres no rio. Lecter sabe qual a verdadeira identidade de Buffalo, mas a agente Starling só conseguirá informações dele se falar sobre si, como numa terapia.

Curiosidade: O filme também ganhou os 5 principais Oscars – melhor filme, direção, roteiro, ator e atriz.

 

Seven: Os sete crimes capitais

Se7en – 1995

Pipocômetro:

vale pipoca turbo

Vale Pipoca Turbo: Foda foda foda. David Fincher se firma como um grande diretor de thrillers. Supreendente.

David Mills (Brad Pitt) é um detetive pavio curto e foi escolhido para trabalhar com o agente Willian Somerset (Morgan Freeman), que está prestes a se aposentar. Os dois policiais com aparentes humores opostos entram em um caso inusitado: um serial killer que mata baseado nos sete pecados capitais. Gula, cobiça, preguiça, ira, orgulho, luxúria e inveja. O assassino (Kevin Spacey) depois de alguns crimes, se entrega a polícia sem entendermos a razão. No fim, o porque da sua rendição é revelada, deixando todos boquiabertos. A psicopatia mais uma vez integra um ótimo roteiro.

Curiosidade: A série House of Cards estrelada por Kevin Spacey tem produção executiva de David Fincher, diretor deste filme. Uma dupla que deu certo.

 

As Duas Faces de um Crime

Primal Fear – 1996

Pipocômetro:

vale pipoca grande

Vale Pipoca Grande: Bom roteiro e ótimas atuações. Principalmente para Edward Norton. Claps Claps.

Tendo uma trama derramada em suspense, este filme traz os famosos tribunais americanos para o centro. Aaron (Edward Norton) é um jovem rapaz de 19 anos, acusado de ter assassinado uma figura importante da cidade de Chicago, o Bispo Rushman. Todos os indícios apontam para ele, e inclusive, a maioria de equipe que o defende, acredita que ele seja o autor. O único que crê o contrário é Martin Vail (Richard Gere), seu advogado de defesa. Martin se tornou famoso por conseguir inocentar boa parte de seus clientes e por isso, estampa revistas e telejornais. Você até pode acreditar que o final é previsível, mas não é.

 

Dançando no Escuro

Dancer in the dark – 2001

Pipocômetro:

vale pipoca turbo

Vale Pipoca Turbo: O roteiro é incrível e causou muito furor na época.

Eu já falei desse filme no post sobre musicais “não-gays”, mas não poderia deixar de fora dessa semana. Selma (Björk) é uma imigrante do leste europeu que mora nos Estados Unidos e tem uma série doença nos olhos. Ela enxerga muito mal e tem dificuldades para realizar tarefas do dia a dia. Para diminuir a solidão, ela viaja em seu próprio mundinho, se imaginando em musicais. Para pagar o tratamento do filho, que tem a mesma doença, Selma trabalha numa fábrica de panelas. Suas economias são ameaçadas quando um “amigo” decide se aproveitar da sua falta de visão. Só vendo o drama para entender.

Curiosidade: A atuação da Björk rendeu o prêmio de melhor atriz em Cannes, além da Palma de Ouro de melhor filme.

 

Irreversível

Irréversible – 2002

Pipocômetro:

vale pipoca grandeVale Pipoca Grande: Ótimo, sem medo de chocar. Se não tem estômago para cenas violentas e explícitas, pense duas vezes antes de assistir.

Na época do lançamento deste filme, lembro de ter lido o comentário de um crítico, dizendo que algumas pessoas saíram da sala de cinema nas primeiras cenas. E ele tinha razão. Cerca de 8 pessoas saíram da sala em que eu assisti. Ele começa com um homem enfurecido procurando alguém num club de sexo underground. Não entendemos bem o porque daquela caçada, e isso vai sendo mostrado aos poucos, já que o filme é montado de trás para frente. Ele procura o homem que estuprou a sua esposa. O diretor, Gaspar Noé, adora filmar em plano sequência, ou seja, sem cortes. Corajoso, triste, mas ao mesmo tempo muito bom.

 

Identidade

Identity – 2003

Pipocômetro:

vale pipoca mediaVale Pipoca Média: Mesmo sendo um típico thriller americano, com cenas que beiram o clichê, o roteiro rende boas surpresas e sustos.

A trama se passa em um motel de beira de estrada onde 9 pessoas acabam encurraladas. Tudo fruto de uma grande coincidência. A partir daí mortes inexplicáveis acontecem, mas tudo leva a crer que foram cometidas por um dos hóspedes: um condenado a justiça, que está sendo conduzido a prisão por um policial. Em paralelo a esta história, o filme mostra um julgamento durante a madrugada. Nele é analisado o caso de um assassino um dia antes de sua pena de morte. Quando você acha que resolveu o mistério, a história dá uma reviravolta.

 

Oldboy

Oldeuboi – 2003

Pipocômetro:

vale pipoca grande

Vale Pipoca Grande: Um ótimo exemplar do cinema oriental. Muito instigante!

Um filme inteiro sobre vingança. Dae-su Oh é sequestrado e preso dentro de um quarto fechado por 15 anos. WHAT? Isso mesmo, 15 anos. Depois de todo esse tempo, e sem saber o porque foi preso, ele é libertado com boas roupas, um celular e dinheiro. Ele recebe ligações do seu algoz, que incita a sua ira e o incentiva cada vez mais a caçá-lo. O motivo de todo o ódio é revelado aos poucos, com um final de cair o queixo. Super indico!

Curiosidade: Oldboy faz parte da Trilogia da Vingança, dirigida pelo sul coreano Chan-Wook Park. Além deste, outros dois filmes formam a trinca: Mr. Vingança e Lady Vingança. Vale ressaltar que existe uma versão americana, filmada por Spike Lee.

 

Onde os Fracos não têm vez

No country for old men – 2007

Pipocômetro:

vale pipoca turboVale Pipoca Turbo: Eu sempre achei que este seria um western chato com um psicopata sem graça. Me enganei redondamente.

Llewellyn Moss (Josh Brolin) mora com a esposa em um trailer numa cidadezinha minúscula no interior do Texas. Em um dia caçando veados, encontra uma cena inusitada: 4 mexicanos mortos, 2 milhões de dólares e muita droga na caçamba de uma caminhonete. A única coisa que ele não deveria ter feito, ele fez. Fugiu com o dinheiro. Para resgatar esse dinheiro, foi contratado um psicopata que não economiza na loucura e na violência, papel interpretado pelo competente Javier Bardem. O filme tem várias cenas que lembram os faroestes americanos de antigamente. Muito bacana!

 

Watchmen: O Filme

Watchmen – 2009

Pipocômetro:

vale pipoca grande

Vale Pipoca Grande: Baseado em comic book de gente grande, o filme segue a mesma linha. Os geeks piram!

Baseado numa história em quadrinhos de autoria de Alan Moore, e com direção de Zack Snyder (300, Suckerpunch e O Homem de Aço), Watchmen conta a trajetória de um grupo de super-heróis em 1985. Ainda durante Guerra Fria e prestes a iniciar uma embate nuclear, o filme tem como ponto de partida o assassinato de um dos super-heróis, o Comediante. Rorschach acha estranho a morte do colega e desconfia de alguém querendo matar os outros integrantes do grupo. Ele, o Coruja e a Espectro passam a investigar, e descobrem que o assassinato não foi um caso isolado. Será que a humanidade conseguirá ser salva de um ataque nuclear? E quem é que está a caça de super heróis? O filme trabalha com personagens reais como o Presidente Nixon e a Guerra do Vietnã. Muito bom!

 

Hiran Albuquerque
Produtor audiovisual pernambucano, formado na UFPE, adora cidade grande e mentes criativas. Já foi DJ, participou de peça de teatro, dançou frevo à caráter e estudou em 10 colégios diferentes. Adora a teoria da arte, mas só desenha bonecos de palitinho. Gosta de filmes estranhos e fora do circuito, ao mesmo tempo em que curte animações infantis.

Tá na rede!

Em caso de chefe
clique aqui