• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato
  • Anuncie

Sem Crise!

10 Verdades para lidar com a (pouca) grana

O dinheiro tá curto e o monstro das dívidas promete sair do armário. Veja quais são os desafios e como enfrentá-los.

Tudo parecia bem. O aluguel do apartamento encaixa no seu orçamento, você fez várias contas e, tudo indicava, a grana era o suficiente para a sua alforria: sair da casa dos pais. Ser um solteiro ou solteira em todo o seu esplendor e direito. Mas a realidade do dia a dia ameaça esses momentos de euforia. O dinheiro está curto e o monstro das dívidas promete sair do armário. Veja aqui quais são os principais desafios — e como enfrentá-los. Se é que isso é possível.

 

1. Aluguel

seu madruga

Provavelmente é a sua despesa mais alta. Uma solução é dividir o apartamento. A outra é sublocar por temporadas curtas. Você cobra menos do que um hotel, mas muito mais, proporcionalmente, do que o aluguel. Finalmente, uma terceira opção: dormir numa Kombi.

 

2. Comida

chaves presunto

Quantas vezes você já deixou de comprar palmito por ser mais caro do que uma refeição? Você precisa comer, o resto é supérfluo. Muitas vezes é mais barato comer num restaurante de quilo do que preparar sua própria comida. Além disso, faça uma dieta: você anda gordo mesmo.

 

3. Baladas

fotosantigasdochaves21

Se você é daqueles que gosta de gastar 30 reais para entrar numa balada cheia de gente, barulhenta e cara, é melhor pensar em alternativas. Há muitas opções baratas e até gratuitas. E quando for beber com os amigos, dê o golpe “esqueci minha carteira”.

 

4. Roupas

Você quer exibir roupas de grife, né? Bacana. Então volta pra casa da mamãe. Ou compre roupas em loja de departamento e supermercado. Duram menos, claro. Mas você acha até umas legalzinhas. E paga em dez vezes sem juros. É um conforto pagar parcelas de cinco reais.

 

5. Mulheres

paty

A regra é o homem pagar a conta. Mesmo aquelas que insistem em dividir esperam, no fundo, que você assuma todo o prejuízo. Então esqueça jantares em restaurantes. Você mesmo cozinha para ela. Só saia com elas para ir ao cinema (se possível, nos dias mais baratos), passear no parque e para beber, já que mulheres não bebem tanto (pelo menos não a maioria). Alegue que você é um homem caseiro. Tem seu charme.

 

6. Transporte

kiko carro

Andar de metro e ônibus, hoje em dia, tem seu charme. É politicamente correto. Esqueça o sonho de ter um carrinho novo, bacaninha. No máximo, tenha uma barca velha. É um estilo inquestionável.

 

7. Saúde

vizinhanc3a7a-do-chaves-episc3b3dios-perdidos-episc3b3dios-semelhantes-kiko-doente-versc3a3o-1-1974-www-vizinhancadochaves-wordpress

Até que dá para usar o sistema de saúde pública em 50% dos casos, pelo menos. Compre remédios pela internet, é muito mais barato. E conheça as farmácias populares, que oferecem medicação a preços ínfimos. Mas o melhor mesmo é não ficar doente.

 

8. Viver conectado

2DA710E42CDDD2CF42144EDC656B0

Explore o mundo do Wi-Fi. É cada vez mais frequente nos bares, hotéis e outros estabelecimentos. Larga mão desse celular um pouco — só use para mandar mensagens e receber ligações. E leia um livro de vez em quando — garanto que não faz mal para a saúde.

 

9. Viagens

acapulco

Só pense em viajar para lugares onde você tem amigos que possam te hospedar. Compre passagens aéreas com antecedência e parcele — dificilmente você encontra passagens de ônibus em parcelas. Lembre: a condução ao aeroporto é muitas vezes mais cara do que a passagem.

 

10. Compras coletivas

restaurante d florinda

Essa mania de comprar cupons pode produzir economia, sim. Mas na maioria das vezes, não. Compra-se por impulso, pelo fato de ser um bom negócio, e não por necessidade. Fala sério: você não tem a menor condição de jantar num restaurante francês, mesmo que pague um pouco menos para fazer isso. Use cupom, sim, mas de maneira planejada.

 

Apoio

logo-poucas-palavras-sidebar

 

 

Roberto Amado
57 anos, é jornalista com atuação na imprensa paulistana, escritor e romancista indicado ao Prêmio Jabuti, solteiro com algumas recaídas e com vocação para cantor de tango que nunca foi realizada e nem será. Dono do blog Poucas Palavras .

Tá na rede!

Quero mais!

Veja mais artigos!

Em caso de chefe
clique aqui