• Colabore!
  • Sobre nós
  • Contato

Sinta-se Bem

10 Curiosidades incríveis sobre a Vagina que você precisa conhecer

Como consegue viver sem saber da relação da pepeka com um tubarão?

Caroline Simoes Publicado: 01/12/2016 17:20 | Atualizado: 12/10/2019 11:10

Você acha que manja, mas não sabe nada, inocente.

Um infográfico encomendado pela rede de clínicas HB Health of Knightsbridge e disponível no site First to Know reuniu 10 curiosidades sobre a vagina que você precisa conhecer. Se liga!

***

1. O clitóris contém 8.000 terminações nervosas

Isso não é uma informação nova. Em 1998 a urologista Helen O’Connell afirmou que mulheres têm o dobro de terminações nervosas que o pênis, ou seja, meninas sentem bem mais, se é que você me entende.

Você pode ler mais sobre essa informação (e muitas outras) no livro (em inglês) Read My Lips: A Complete Guide to the Vagina and Vulva (Leia Meus Lábios: Um Guia Completo da Vagina à Vulva).

Esse é o seu clitóris…

 

2. A vagina pode se expandir em até 200% do seu tamanho

De acordo com o site Psychology Today, a vagina tem um tamanho médio de 3 a 4 polegadas, mas, quando excitada, ela pode se expandir em 200% do seu tamanho normal.

 

3. Os pelos pubianos têm uma expectativa de vida de 3 semanas

Segundo Lissa Rankin, especialista em medicina integrativa, em entrevista ao Huffington Post, os cabelinhos lá debaixo podem cair a cada 3 semanas. Os cabelos da sua cabeça podem ficar aí até 7 anos.

 

4. O recorde de maior número de orgasmos alcançados por uma mulher em uma hora foi de 134

De acordo com uma matéria do The Guardian, os cientistas William Hartman e Marilyn Fithian, do Centro de Estudos Conjugais e Sexuais, na Califórnia, gravaram uma mulher que teve 134 orgasmos em uma hora. E o recorde dos homens? 16.

 

5. A vagina tem um sistema próprio de limpeza

Segundo um artigo do National Health Service, a vagina tem mais bactérias que qualquer outro lugar do corpo. Essas bactérias ajudam a manter o equilíbrio do pH e também  produzem substâncias que impedem bactérias “ruins” de grudarem nas paredes vaginais.

Porém, a ginecologista Lauren Streicher, professora associada de Obstetrícia e Ginecologia na Faculdade de Medicina da Northwestern, em entrevista ao site The Rephreshing Truth, afirmou que esse pH pode ser desregulado por problemas do cotidiano, como a menstruação, relações sexuais e alergias. Ou seja, pra “tá nova“, tem que lavar mesmo, ok?

 

6. As paredes da vagina se abrem como um guarda-chuva

De acordo com uma pesquisa sobre incontinência urinária feminina, do Departamento de Uroginecologia e Distúrbios do Piso Pélvico da Universidade de São Cirilo e Metódio, na Macedônia, descobriu-se que as paredes da vagina são plissadas, como se fosse uma saia.

Quando excitada, ela se abre exatamente como um guarda-chuva, revela a pesquisa. Agora a música da Rihanna faz todo sentido, né?

 

7. Algumas das bactérias naturais da vagina são encontradas no iogurte

A vagina humana é habitada por uma variedade de micróbios. Os lactobacilos são os mais comuns, principalmente em mulheres saudáveis. É o que explica esse estudo do Centro Canadense de Pesquisa e Desenvolvimento de Probióticos e da Lawson Health Research Institute.

Mas acontece que esses lactobacilos são encontrados nos iogurtes, de acordo com essa pesquisa, também da Lawson Research Institute e do Departamento de Microbiologia e Imunologia, do Canadá.

E acredite, um artigo da Motherboard já até mostrou uma cientista chamada Cecilia Westbrook que chegou a fazer um iogurte de blueberries com os lactobacilos da própria vagina. Sem contar essa cerveja feita quase que da mesma maneira.

 

8. O espéculo, uma ferramenta usada por ginecologistas, já era usado em 1300 A.C.

O espéculo vaginal é um instrumento usado por ginecologistas para verificar o interior da vagina.

De acordo com o livro Obstetric and Gynecologic Care in Physical Therapy (Cuidados obstétricos e ginecológicos em fisioterapia), esse aparelho já vinha sendo usado em 1.300 antes de Cristo. Atualizem isso aí!

 

9. Vagina em latim que dizer “o lugar onde se guarda a espada”

Faculdade de Dartmouth, localizada em New Hampshire, fez uma lista de etimologia dos termos viscerais abdominais explicando que a vagina, em latim, significa “bainha”, aquele suporte onde os gladiadores guardavam suas espadas.

Segundo a lista, o pênis era chamado de gladius, que quer dizer espada em latim.

 

10. Vaginas e tubarões possuem algo em comum

Não. A vagina não tem dentes afiados. De acordo com a especialista em medicina integrativa Lissa Rankin, em entrevista ao Huffington Post, as mulheres produzem sebo, suor, muco cervical, células descamadas e ureia, entre outras coisas, na flora vaginal.

Mas além disso, você pode encontrar lá embaixo um lubrificante chamado Escaleno, responsável por ajudar a manter a umidade essencial da área e que hidrata a pele também. A entrevista com a especialista não está mais disponível, mas você pode lê-la no site da Ophar Winfrey.

Acontece que de acordo com um estudo do Departamento de Química da Universidade Nacional Pukyongda, na República da Coreia, tubarões também produzem esse lubrificante, o chamado óleo de fígado de tubarão. Esse óleo é bastante usado pelas indústrias farmacêuticas como hidratante.

Isso é bom!

Fonte(s): 9gag, First to know, Livro Read My Lips: A Complete Guide to the Vagina and Vulva, Pubmed, The guardian, The Rephreshing Truth, Vice
Caroline Simoes
Aspirante a Jornalista ligeiramente distraída. Raramente lembra do que estava fazendo mesmo com seus 20 e poucos anos. Sempre procura o lado bom das coisas, adora miojo cru e o resto ela esqueceu.

Em caso de chefe
clique aqui