publicidade
Essa foi quente!

Que tiro foi esse? Novo golpe em bloquinhos de rua pode acabar com o seu carnaval

Você fica com a cerveja, eles com o seu cartão do banco!

Redação - Almanaque SOS - Publicado: 17/01/2018 11:13 | Atualizado: 17/01/2018 14:12
261
Clique no "joinha" para bombar este post!
259
0
0
publicidade

O carnaval finalmente está aí para alegria dos foliões, mas se você achava que desgrudar o glitter da pele era a única chateação dessa época festiva, ledo engano.

Um novo golpe aplicado na praça, em especial entre a galera que adora seguir um bloquinho pelas ruas enquanto bebe uma gelada, vem fazendo diversas vítimas em São Paulo.

publicidade
Limpinho e Cheiroso, https://limpinhoecheiroso.com/2017/01/23/doria-estuda-forma-de-cobrar-os-blocos-de-rua-do-carnaval-de-sao-paulo/Limpinho e Cheiroso

Toda a ação dos estelionatários ganhou destaque após diversas denuncias feitas na rede nesta última semana, contando como o golpe funcionou entre os blocos de algumas regiões da cidade, em especial no centro e na Vila Madalena.

publicidade

Funciona da seguinte forma: em meio a curtição, você procura um ambulante para comprar mais um latão gelado.

Aproveitando-se de todas as distrações e de seu provável teor de embriaguez, o vendedor ou outro cúmplice que pode estar se passando por cliente observa e decora sua senha enquanto você digita.

Após efetuada a compra, ele lhe entrega um outro cartão, semelhante ao seu. Então, enquanto você não percebe, ele saca enorme quantias com o seu cartão verdadeiro.

Convenhamos, nem quando estamos fazendo compras habituais temos o costume de checar se o cartão devolvido é o nosso mesmo, e claro que em pleno carnaval, com “que tiro foi esse que tá um arraso” tocando, não iriamos fazer diferente.

As vítimas

Na verdade, os golpes estão acontecendo desde os bloquinhos que rolaram no ano passado, conforme conta em entrevista ao Buzzfeed Brasil, o programador Hisrael Pereira, que foi uma das vítimas.

“Eu estava um pouco bêbado e, como tinha muita gente, eu só queria voltar logo para onde meus amigos estavam. Quando voltei, comecei a receber notificações no aplicativo do banco. Ao todo, gastaram R$ 10 mil em compras no débito e no crédito, o banco estornou apenas os gastos no crédito. Quando eu olhei para o outro lado da rua, eles não estavam mais lá. Foi muito rápido, questão de minutos.” conta Pereira.

Douglas Parracho foi outra vítima que usou sua rede social para alertar as pessoas sobre o ocorrido. Seu caso, que aconteceu durante os bloquinhos que rolaram na Vila Mariana, foi exatamente igual ao de Hisrael, mas felizmente o banco entendeu o ocorrido e fez a devolução de todo o valor gasto.

E se formos analisar, os golpes dado em Hisrael, na rua 13 de maio, no centro da capital, e em Douglas, foram relativamente pequenos se comparados aos prejuízos que o psiquiatra Bruno Branquinho teve de arcar: cerca de mais de 30 mil reais foram roubados de sua conta, que não serão devolvidos pelo banco, conforme ele conta nesta publicação feita em sua rede social:

Diversas outras pessoas estão sendo vítimas, e conforme noticiou uma reportagem da revista Veja, esse golpe não é de exclusividade dos ambulantes e vendedores de bebida. De acordo com a publicação, no início do mês de janeiro a Polícia prendeu um taxista que estava realizando o mesmo esquema com seus passageiros.

Como evitar cair nessa furada

A época é de diversão mesmo, mas tomar algumas medidas de segurança para evitar cair nessa armação é importante. Primeiro de tudo, evite digitar a sua senha perto de outras pessoas. Ou simplesmente coloque a mão por cima.

Lembre-se que esse tem se mostrado um grande esquema, então provavelmente eles não estão agindo sozinhos. É bem possível que existam comparsas em torno do ambulante, observando seus clientes, só esperando que uma pessoa mais distraída não perceba os olhos atentos enquanto digita a senha.

E a segunda recomendação, que realmente pode colocar todo o plano dos bandidos por água abaixo é simplesmente conferir se o cartão entregue pelo ambulante é mesmo o seu.

Mas seja esperto. Eles repassam um cartão similar ao seu, provavelmente do mesmo banco, então cheque de verdade, confira se é teu nome mesmo que está escrito ali. Seguindo essas recomendações, não há chances deles te pegarem.

Fonte(s): Buzzfeed, Veja
Imagem de capa: Hoje em Dia
261
Clique no "joinha" para bombar este post!
259
0
0
Consciência, Autonomia e Evolução. Acompanhe o SOS também pelo Facebook e Instagram .
publicidade

Tá na rede!

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade