publicidade

8 Dicas simples para nunca comer Carne Estragada

O cheiro, a cor e até o tipo de embalagem podem te ajudar.

Gabriela Roman - Publicado: 20/03/2017 13:42 | Atualizado: 20/03/2017 18:14
80
Clique no "joinha" para bombar este post!
76
0
0
publicidade

A Operação “Carne Fraca”, realizada pela Polícia Federal, ganhou notoriedade imediata ao investigar fiscais do Ministério da Agricultura que estariam emitindo certificados sanitários sem fiscalização.

A notícia deixou o país (e o planeta) em alerta, para não dizer em choque, já que grandes empresas são apontadas no esquema por possivelmente vender carnes vencidas e adulteradas. Vale ressaltar que, apesar do alvoroço, a grande maioria dos especialistas defendem a carne brasileira, garantindo sua qualidade.

Mas para te tranquilizar ainda mais, separamos algumas dicas simples que podem evitar que você compre carne imprópria para consumo sem saber. Se liga!

***

1. Fique de olho na Data de Fabricação e Validade

Prefira carnes que estejam mais próximas da data de fabricação, em relação à data de validade. Ainda que estejam dentro do prazo, quanto maior o tempo de produção, maiores são as chances da carne se deteriorar. A dica é do especialista em carnes István Wessell, para a Folha.

publicidade

Ainda segundo Wessell, os frigoríficos costumam contar 60 dias de validade para as carnes, mas isso só é válido caso sejam mantidas durante todo o tempo na temperatura ideal.

Infelizmente, não é possível garantir que o produto esteve todo o tempo nessa temperatura, principalmente no mercado, onde alguém pode ter tirado da geladeira, andado com a carne no carrinho e desistido de comprar, por exemplo.

Governo do Rio de Janeiro, http://www.rj.gov.br/web/seapec/exibeconteudo?article-id=1500500Governo do Rio de Janeiro

 

2. Observe atentamente a Cor

Segundo o pesquisador de Pecuária e Engenharia de Alimentos Pedro de Felício e a professora do Departamento de Nutrição da UFPR, Christiane Queiroz em entrevista para o BuzzFeed Brasil, a carne bovina tem que ser vermelha. Se ela estiver com um tom marrom pode indicar processo de deterioração.

O ideal é que a carne não esteja nem muito vermelha, nem muito escura, fique longe dos extremos. Carne verde, então, nem pensar! No caso do frango, não dá para confiar na mudança de cor, pois a mesma só ocorre quando a carne está muito estragada.

Charcutaria, https://charcutaria.org/carnes/entenda-a-cor-da-carne/Charcutaria

– Carne deteriorada.

 

3. Se for possível, sempre faça o teste do Cheiro

Segundo o site LiveStrong, se o cheiro da carne estiver forte é melhor tomar cuidado. Caso seja embalada à vácuo, um odorzinho desagradável é normal, mas deve durar apenas de dois a três minutos após aberta a embalagem. Depois disso, se o cheiro forte persistir, não consuma.

Para comprar uma peça de carne que não esteja embalada a vácuo, peça para cheirá-la. Segundo o especialista István Wessell, para a Folha, se qualquer cheiro mais forte for detectado, não compre.

Não precisa ter vergonha, confie no seu olfato! Nosso nariz pode reconhecer um processo de decomposição ou, até mesmo, tratamento químico.

Medical Daily, http://www.medicaldaily.com/do-meat-eaters-really-smell-worse-vegetarians-397133Medical Daily

 

4. Também vale sentir e observar a Textura

Fuja de carnes com textura viscosa ou pegajosa. Isso pode ser sinal de que está estragada ou no início do processo de deterioração, segundo o site The Kitchn. Preste atenção também nas fibras musculares da carne, se parecerem “rasgadas” ou “destroçadas” pode ser sinal de má procedência.

Pinterest, https://br.pinterest.com/pin/413134965791198840/Pinterest

 

5. Opte por produtos frescos

O conselho do jornal Extra é evitar alimentos ultraprocessados à base de carnes, como nuggets, salsicha, hambúrguer e linguiça. As carnes in natura ou menos processadas têm menor chance de conter produtos químicos com origem duvidosa.

Além disso, as carnes embaladas industrialmente acabam tendo fatores importantes como cor e aspecto mascarados pelo nível de processamento do alimento e adição de corantes, aromatizantes e outros aditivos.

24 Horas News, http://www.24horasnews.com.br/noticias/ver/carne-processada-pode-piorar-asma-indica-estudo.html24 Horas News

– Carnes processadas.

 

6. Compre em locais de confiança

Não é porque a carne está dentro do período de validade que está boa para o consumo. Alguns elementos não alteram o aspecto ou cheiro da carne, mas podem fazer mal à saúde.

Por isso, é importante sempre comprar em locais de confiança. Segundo o site Fine Dining Lovers, uma boa ideia é perguntar ao açogueiro de onde a carne que ele revende vem e há quanto tempo está à mostra.

G1, http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2014/11/preco-da-carne-bovina-sobe-em-media-22-em-acougues-de-sao-carlos-sp.htmlG1

 

7. Como conservar em casa

O especialista István Wessell aconselha, para a Folha, a nunca deixar uma carne na geladeira por mais de 2 dias. A temperatura do eletrodoméstico costuma ser entre 7°C e 8°C, um pouco acima do ideal, 4°C.

Já no freezer caseiro, o limite é 30 dias. O aparelho que temos em casa apenas conserva a carne, diferentemente dos congeladores industrial que podem manter uma carne sem estragar por até 3 meses.

Receitas de Comida, http://www.receitasdecomida.com.br/blog/qual-o-tempo-maximo-para-manter-uma-carne-na-geladeira.htmlReceitas de Comida

 

8. No fim das contas, se pintou dúvida, não coma

É isso.

Fonte(s): BuzzFeed, Folha, Extra, Fine Dining Lovers, The Kitchn, Livestrong
Imagem de capa: Blog Rural


Destaques do Alô, Alô? Testando!

80
Clique no "joinha" para bombar este post!
76
0
0
Roteirista, viajante profissional e amante da internet e das zueiras que vêm com ela.
publicidade

Tá na rede!

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade